Eventos

Ensaio aberto ao público “L, o Musical”, com direção e roteiro de Sérgio Maggio

Praça da Liberdade, 640, esq. Gonçalves Dias

CCBB BH

Entrada Franca

Dia 14 de março, quarta-feira, às 20h


Com Elisa Lucinda, Ellen Oléria, Luísa Caetano, Gabriela Correa, Tainá Baldez e Luiza Guimarães, musical do Criaturas Alaranjadas Núcleo de Criação Continuada chega ao Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte, dia 15 de março.

Canções femininas que embalam o romance entre mulheres compõem a trilha sonora de L, o Musical, de Sérgio Maggio, que chega aos palcos do Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte (CCBB BH) no dia 15 de março, depois de três temporadas bem sucedidas em Brasília, no Rio de Janeiro e em São Paulo, onde a peça foi vista por 17 mil pessoas. Pautado por temas como a liberdade, o desejo, os afetos e a identidade humana, o espetáculo cria uma reflexão sobre as delícias e conflitos do amor lésbico.

A discussão fica ainda mais intensa porque as protagonistas do musical são negras sem a necessidade de a peça debater o preconceito racial. “Os corpos de Elisa e Ellen no palco trazem em si um poderoso discurso político mobilizador. Esse pretagonismo, como batizou Elisa, abala o racismo estrutural, que naturalizou a não presença de atrizes negras no centro do palco em personagens vitais para a trama”, esclarece o diretor.

A peça narra o entusiasmo da renomada autora de novelas Ester Rios (Elisa Lucinda) com o sucesso de seu primeiro folhetim a retratar um triângulo amoroso entre mulheres. Ela divide a sua empolgação com as personagens Anne, Simone, Elle, Filipa, Léa e Xena (interpretadas por Luísa Caetano, Gabriela Correa, Tainá Baldez e Luiza Guimarães) e lembra-se de Rute (Ellen Oléria), o grande amor de sua vida. Notícias inesperadas mudarão o destino de todas essas mulheres.

Durante a temporada em BH, o público mineiro poderá se envolver ainda mais com o espetáculo. No dia 14 de março, às 20h, haverá ensaio aberto ao público, com entrada gratuita. Um bate-papo com elenco e direção sobre o processo criativo será realizado após a sessão do dia 17 de março, sábado. O público terá, ainda, a oportunidade de participar do Workshop Dramaturgia para Musical, ministrado pelo diretor-dramaturgo Sérgio Maggio. A atividade acontecerá nos dias 17 de março, das 10h às 12h, e das 14h às 17h, e 18 de março, das 14h às 17h, e será voltada para estudantes, atores, diretores, produtores e amantes do teatro. Inscrições gratuitas pelo e-mail: [email protected]

Com direção musical de Luís Filipe de Lima, a montagem conta com a participação de uma banda formada pelas instrumentistas Marlene de Souza Lima (guitarra), Janaina Sabino (teclado) Alana Alberg (baixo) e Georgia Câmara (bateria). Aurélio de Simoni concebeu o desenho de luz, Maria Carmem de Souza, o cenário e Carol Lobato, os figurinos. Ana Paula Bouzas assina a direção de movimento enquanto Jones de Abreu é o diretor assistente. A direção de produção é de Ana Paula Martins.

Para escolher quais canções fariam parte da trilha sonora, Maggio fez uma pesquisa em grupos virtuais de mulheres lésbicas e percorreu o repertório das cantoras que exercem o fascínio nessas comunidades. Formou-se um universo de 90 temas. Depois, ele, com a ajuda de Ellen Oléria e supervisão de Luís Filipe de Lima, chegou a 22 músicas de Simone, Adriana Calcanhotto, Márcia Castro, Cássia Eller, Mart’nália, Isabella Taviani, Maria Gadú, Leci Brandão, Sandra de Sá, Ellen Oléria, Angela Ro Ro, Marina Lima, Maria Bethânia, entre outras cantoras que se declararam publicamente lésbicas ou bissexuais, ou que têm uma identificação afetiva com esse público.

Outra referência importante para o espetáculo é a montagem icônica de “As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant”, do alemão Rainer Werner Fassbinder, com elenco formado por Fernanda Montenegro, Renata Sorrah, Rosita Thomas Lopes e Juliana Carneiro de Cunha, que discutiram o amor entre mulheres em 1982.

Sérgio Maggio

Mestre em Crítica Teatral pela Universidade de Brasília (UnB) e pós-graduado em direção musical pela Faculdade de Artes Dulcina de Moraes, o diretor-dramaturgo e jornalista Sérgio Maggio é autor do livro-reportagem “Conversas de Cafetinas”, pelo qual recebeu o Prêmio Jabuti, em 2010. A obra foi adaptada para o teatro na peça “Cabaré das Donzelas Inocentes”. Durante dez anos, ele escreveu para os jornais Correio da Bahia e Correio Braziliense e, desde 2007, dirige a Criaturas Alaranjadas Núcleo de Criação Continuada, ao lado do ator Jones de Abreu.

Criaturas Alaranjadas

Em seus 10 anos de trajetória, o brasiliense Criaturas Alaranjadas Núcleo de Criação Continuada já circulou o país com as bem-sucedidas peças “Eros Impuro” e “Eu Vou Tirar Você Deste Lugar - As Canções de Odair José” e foi contemplado com vários prêmios e editais nacionais. Criaturas já esteve em BH com as montagens “Eros Impuro” e “Cabaré das Donzelas Inocentes”, ambas na Funarte.

O coletivo investiga temas como a memória, as urgências sociais e o hibridismo de linguagens artísticas. Outros trabalhos apresentados pelo grupo foram “Terça Crônica”, “Mitos do Teatro Brasileiro”, “Duas Gotas de Lágrimas no Frasco de Perfume” e “Caravana Cantos das Letras”. Todos esses projetos têm em comum a criação compartilhada em seu cerne.

SINOPSE

Ester Rios (Elisa Lucinda) é uma renomada autora de novelas e está esfuziante com o sucesso do primeiro folhetim a ter um triângulo amoroso formado por mulheres. Ela divide esse cotidiano profissional e afetivo com amigas, sempre se lembrando daquela que foi seu grande amor, Rute (Ellen Oléria). Revelações e a chegada de notícias inesperadas mudam o destino daquelas mulheres.

Foto: Sérgio Martins


Selecionamos os melhores fornecedores de BH e região metropolitana para você realizar o seu evento.